Mostrar mensagens com a etiqueta Historia. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta Historia. Mostrar todas as mensagens

6 de agosto de 2015

30 de março de 2015

A História de Helen Keller




Helen ficou cega e surda aos 19 meses de idade, devido a uma doença diagnosticada então como "febre cerebral" (hoje acredita-se que tenha sido escarlatina ou meningite).
A história sobre como sua professora, Anne Sullivan, conseguiu romper o isolamento imposto pela quase total falta de comunicação, permitindo à menina florescer enquanto aprendia a se comunicar
Tornou-se uma célebre e prolífica escritora, filósofa e conferencista, uma personagem famosa pelo extenso trabalho que desenvolveu em favor das pessoas portadoras de deficiência. Keller viajou muito e expressava de forma contundente suas convicções.

Michael Alagnos, diretor da escola, solicitou à ex-aluna Anne Sullivan, ela própria uma deficiente visual, para tornar-se instrutora de Helen. Este foi o início de uma relação de 49 anos durante a qual Sullivan tornou-se governanta e acompanhante de Keller.

Anne Sullivan chegou à casa de Keller em março de 1887 e imediatamente começou a ensiná-la a se comunicar soletrando palavras em sua mão, a começar pela palavra b-o-n-e-c-a, para a boneca que ela havia trazido de presente. A princípio, Keller ficava frustrada porque ela não entendia que cada objeto possuía uma palavra única para identificá-la. Na realidade, quando Sullivan tentava ensinar para ela a palavra ‘caneca’, Keller ficou tão frustrada que chegou a quebrar a boneca. Seu grande salto evolutivo em comunicação começou no mês seguinte, quando compreendeu que os movimentos que sua professora fazia na palma de sua mão, enquanto deixava a água escorrer sobre sua outra mão, simbolizavam a ideia de ‘água’; a partir de então, ela praticamente levou Sullivan à exaustão demandando os nomes de outros objetos familiares de seu mundo.

27 de janeiro de 2015

Lições de história

Will Durant escreveu um livro bastante interessante sobre história, aqui ficam as ideias básicas:

"O homem que nasce sem saber o que aconteceu antes de ele ter nascido será sempre uma criança"
Winston Churchill

13 de janeiro de 2015

A única forma de dinheiro possível

O ouro sempre fascinou a humanidade desde tempos imemoriais. Diz-se que foi o primeiro metal a ser descoberto pelos homens e o seu uso existe desde que existe civilização.
Os egípcios usavam-no como ornamento para arquitectura e vestuário. Era considerado tão sagrado que apenas os faraós podiam utilizar a chamada "Pele dos Deuses".
No entanto não foi utilizado como moeda até 650 a.C. na Lídia, onde foram encontradas as primeiras moedas cunhadas. Qualquer cidadão letrado podia adquirir o metal amarelo.
Para os gregos era a combinação entre o Sol e água (Platão e Aristoteles) e escavaram minas desde os Pilares de Hércules até aos confins mais remotos do Mediterrâneo
Os Romanos tinham também fascínio pela prata, utilizada também como moeda do Império. Na zona de Leon, Espanha, retiraram-se 1500 toneladas de ouro em 250 anos. Os romanos foram os pais da mineração.
Os metais preciosos exerciam grande fascínio nos Aztecas e Mayas e foi a razão pela qual os espanhóis conquistaram a América em busca da cidade lendária de El Dorado.
Na Ásia e no início da nossa era o Imperador Wang Mang chegou a possuir 1,5 milhões de toneladas em ouro. Para ter uma ideia as reservas durante a Idade Média estimam-se que seriam de 3,8 milhões de toneladas, junte-se as 5,6 milhões de toneladas.
Assim que chegou ao poder, Mang, nacionalizou o ouro dos seus cidadãos, adiantando-se 1800 anos aos franceses e quase 200 anos ao presidente Roosevelt que tomou as mesmas medidas em 1933. O ouro chinês provinha da região da Sibéria onde era utilizado como moeda de troca na rota da seda. 

Estes são alguns exemplos que a história nos dá que demonstram que ouro esteve sempre intimamente ligado ao poder. Em todas as regiões do planeta, o ouro era utilizado como forma de dinheiro até 1971, quando o mundo decidiu utilizar o dólar americano que basicamente é só papel controlado pelo Estado e pelos Bancos Centrais.
Mas porquê o ouro? Porque é que este metal foi o responsável por todo o crescimento económico e prosperidade da humanidade?

A razão está na sua durabilidade e estabilidade. É um metal que não sofre desgaste nem erosão. A sua quantidade limitada torna-o numa moeda estável com tendência deflacionaria, ou seja o seu poder de compra é relativamente estável, ao contrário do papel moeda.
É uma reserva de valor que não pode ser criada do nada. É preciso a explosão de uma supernova para que este metal seja criado. 
Sendo assim o ouro é a forma de dinheiro mais fidedigna do planeta. Falsifica-lo é impossível até que se descubra a pedra filosofal.


25 de novembro de 2013

A América antes dos Europeus

http://www.youtube.com/watch?v=ofNDjUb_Ta0
A América pré Colombo é dos maiores mistérios da humanidade. Como os Mayas, Olmecas, Aztecas, Incas e muitas outras civilizações alcançaram a mestria de várias áreas cientificas? Este documentário é bastante interessante para ver como as nossas dietas e hábitos de vida mudaram rapidamente com a descoberta da América.

Posts parecidos

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...