30 de abril de 2015

Uma geração de escravos

Se há uma coisa que o ensino público português faz bem é a criação de jovens escravos dispostos a fazer aquilo que lhes mandam, a engolir e a calar, a não terem opinião formada sobre assunto nenhum e no fim receberem a esmola que o patrão estiver disposto a dar, desde que não seja abaixo do salário mínimo.

Algumas pessoas que conheço, estão dispostas e trabalham mais de 50 horas semanais a troco de 500€. E se o patrão desrespeitar algumas das leis básicas do trabalho, eles aceitam de bom grado. Desde que haja a esmola no final do mês.

A geração dos 20 aos 40 anos, tem mentalidade de escravo, sujeitam-se a qualquer coisa a troco de um salário, revoltam-se mais com as arbitragens dos jogos de futebol do que com a sua própria condição. E se uma geração destas não se preocupa consigo, porque haveria de se importar com o sistema político ou social? Porque haveria de revoltar-se? Porque haveria de reclamar e lutar pelos seus direitos se nem eles sabem quais são?

Portugal foi o primeiro país a abolir a escravatura, mas hoje conta com os piores escravos. Aqueles que se amansam por uma esmola.


28 de abril de 2015

A Vida de Diógenes de Sinope


Diogenes de Sinope foi um filosofo da Grécia Antiga, considerado o pai do cinismo e ao mesmo tempo de um estoicismo rigido que o levou a viver a maior parte da vida sem bens materiais, com excepção de um barril, um manto e um candeeiro a óleo. O video abaixo conta mais sobre a interessante vida de Diogenes, o cão.



23 de abril de 2015

11 de abril de 2015

Um dia com o Apple Watch


As pre-reservas do Apple Watch começaram hoje e cedo esgotaram certos modelos e alguns passaram a ter as entregas em Junho.
No entanto com as reviews que tem saído, destaco este vídeo da jornalista Joanna Stern que demonstra como se passa um dia com o Apple Watch

9 de abril de 2015

6 principios para que as pessoas gostem de si


Continuando com Dale Carnegie… Desta vez são 6 princípios que parecem simples de aplicar, mas que nos esquecemos de os utilizar diariamente.
  • Interesse-se sinceramente pelas outras pessoas. 
  • Sorria. 
  • Lembre-se de que o nome de um homem é, para ele, o som mais doce e mais importante que existe em qualquer idioma.
  • Seja um bom ouvinte. Incentive os outros a falar sobre eles mesmos. 
  • Fale sobre assuntos que interessem a outra pessoa. 
  • Faça a outra pessoa sentir-se importante, mas faça-o sinceramente.

8 de abril de 2015

A inteligência social

Bill von Hippel estuda neurociência e faz este discurso bastante interessante sobre as capacidades sociais do cérebro e em especial do lóbulo frontal. Dá o exemplo de Dale Carnegie de como fazer amigos e da experiência "cientifica" de Phineas Gage que após um acidente de trabalho que afectou o seu lóbulo frontal deixou de ter a mesma personalidade e tinha comportamentos anti-sociais. Vale a pena ver.

9 Conselhos de Dale Carnegie para ser um líder

Dale Carnegie era um vendedor ambulante americano e o seu trabalho basicamente consistia em fazer amizades, algo que lhe saía naturalmente. Após escrever este livro tornou-se numa das pessoas mais influentes nos Estados Unidos, tendo o livro vendido milhões de unidades. Sobre a liderança dava estes conselhos:

O trabalho de um líder geralmente inclui a modificação das atitudes e comportamentos dos outros. Eis algumas sugestões para conseguir isso:
  • Comece com um elogio e uma apreciação sincera. 
  • Chame indiretamente a atenção sobre os erros alheios. 
  • Fale dos seus próprios erros antes de criticar os das outras pessoas. 
  • Faça perguntas em vez de dar ordens. 
  • Não envergonhe as outras pessoas. 
  • Elogie o menor progresso e também cada novo progresso. Seja "caloroso na sua aprovação e generoso no seu elogio". 
  • Atribua a outra pessoa uma boa reputação para que ela se interesse em mantê-la. 
  • Incentive a outra pessoa. Faça que os erros pareçam fácil de corrigir. 
  • Faça a outra pessoa sentir-se satisfeita a fazer aquilo que você sugere.

Unboxing do Apple Watch

7 de abril de 2015

As 10 regras para gerir uma empresa por Sam Walton

DEDIQUE-SE ao seu negócio. Acredite nele mais do que qualquer outra pessoa. Creio ter superado cada uma de minhas deficiências pessoais pela simples paixão pelo meu trabalho. Não sei se você nasceu com essa paixão, ou se pode aprendê-la. Mas sei que precisa dela. Se gosta do seu trabalho, você irá dedicar-se a ele todos os dias, tentando fazê-lo da melhor maneira, e aos poucos todos à sua volta serão contagiados por essa paixão como uma doença.

DIVIDA os seus lucros com os seus colaboradores, e trate-os como sócios. Por sua vez, eles o tratarão como sócio, e juntos vocês terão um desempenho muito superior às maiores expectativas. Continue sendo uma empresa e conserve o controle se quiser, mas comporte-se como um líder numa sociedade. Estimule os seus colaboradores a terem participação na companhia. Ofereça acções com descontos e ofereça-as quando eles se aposentarem. Foi a melhor coisa que fizemos.

MOTIVE os seus colaboradores. Dinheiro e propriedade não chegam. Constantemente, dia a dia, pense em maneiras novas e mais interessantes de motivar e desafiar os seus colaboradores. Fixe metas elevadas, estimule a competição, e registe o desempenho em pontos. Faça apostas com premios extravagantes. Se isso perder a novidade, faça combinações; promova a troca de funções entre gerentes para manter o desafio. Mantenha todos em suspense quanto à sua próxima ideia. Não se torne muito previsível.

COMUNIQUE tudo o que for possível aos seus colaboradores. Quanto mais eles souberem, mais compreenderão. Quanto mais compreenderem, mais se interessarão. Quando se interessarem, não vão parar. Se você não confiar nos seus auxiliares e deixar que saibam o que está acontecendo, eles sentirão que você não os considera realmente como sócios. Informação é poder, e o ganho que você tem em dar poder aos seus colaboradores mais do que compensa o risco de que essas informações cheguem aos seus concorrentes.

APRECIE tudo o que seus colaboradores fizerem pelo negócio. O cheque de pagamento e a opção para a compra de ações compram um tipo de lealdade. Mas todos nós gostamos de saber o quanto alguém aprecia o que fazemos por eles. Gostamos de ouvir isso com frequência, em especial quando fizemos alguma coisa de que realmente nos orgulhamos. Nada substitui perfeitamente umas poucas palavras de elogio, bem escolhidas, sinceras e oportunas. Elas não custam absolutamente nada — e valem uma fortuna.

COMEMORE o seu sucesso. Veja com bom humor os seus fracassos. Não se leve muito a sério. Relaxe, e todos à sua volta relaxarão. Divirta-se. Mostre entusiasmo sempre. Quando tudo mais falhar, ponha uma fantasia e cante uma canção. Faça com que todos cantem com você. Não dance a hula em Wall Street, eu já fiz isso. Pense num número que seja seu. Tudo isso é mais importante, e mais engraçado, do que você pensa, e realmente engana a concorrência. “Por que vamos levar a sério aqueles malucos da Wal-Mart?

OUÇA todos em sua companhia. E imagine formas de fazer com que falem. As pessoas na linha de frente — as que falam com o cliente — são as únicas que realmente sabem o que está acontecendo ali. É melhor descobrir o que elas sabem. Qualidade total é isso. Para delegar responsabilidades em sua organização, e fazer com que boas idéias fermentem junto com as responsabilidades, você tem de ouvir o que os seus associados estão tentando dizer.

SUPERE as expectativas dos seus clientes. Se o fizer, eles voltarão sempre. Dê-lhes o que querem — e um pouco mais. Faça-os sentir que você os aprecia. Procure aproveitar-se de todos os seus erros e não apresente justificativas — peça desculpas. Assuma tudo o que faz. As duas palavras mais importantes que já escrevi estavam naquele primeiro placard da Wal-Mart: “Satisfação Garantida”. Os placards continuam ali, e fazem toda uma diferença.

CONTROLE as suas despesas melhor do que a sua concorrência. É aí que você pode encontrar sempre a vantagem competitiva. Durante 25 anos de atividades — muito antes que a Wal-Mart fosse conhecida como a maior companhia de retalho do país — nós éramos os primeiros do ramo na menor proporção entre despesas e vendas. Você pode cometer muitos erros e recuperar, se tiver uma empresa eficiente. Ou pode ser brilhante e fechar as portas, se for muito ineficiente.

NADE contra a corrente. Ande no caminho inverso. Não leve em conta a sabedoria convencional. Se todos estão fazendo de uma forma, há uma boa possibilidade de que você encontre o seu espaço se fizer exatamente o oposto. Mas esteja preparado para ser condenado por muita gente, que lhe dirá que está no caminho errado. Acho que em toda a minha vida o que ouvi com mais frequência foi: uma cidade com menos de 50.000 habitantes não pode manter uma loja de descontos por muito tempo.


Excerto de Made in America de Sam Walton (fundador da Wall Mart)


Posts parecidos

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...